DEBORAH COLKER

 

Nascida em 1960 no Rio de Janeiro, antes de se aventurar pela dança, dedicou 10 anos (dos 8 aos 18) ao estudo do piano clássico, com grandes mestres no instrumento – como Salomea Gandelman, Esther Scliar e Helder Parente –, e outros cinco à prática de um esporte coletivo, o voleibol.

 

Em 1979, ingressava no Grupo Coringa, da uruguaia Graciela Figueroa, uma das precursoras da dança contemporânea no Brasil. Os oito anos de atuação como bailarina do Coringa, grupo que marcou época na cena carioca dos anos 1980, ajudaram a forjar seu interesse em trabalhar com profissionais de diversas formações e perseguir uma dança capaz de promover uma síntese entre a Arte e o dia a dia do homem comum.

 

Avessa a homogeneidades e entusiasta das diferenças, ao fundar sua companhia em 1994, não hesitou em reunir sobre o mesmo linóleo uma trupe formada por dois bailarinos clássicos, três contemporâneos, um campeão de break, uma ginasta olímpica, uma modelo e uma atriz – além dela mesma. 

 

Como coreógrafa, distinguiu-se antes de mais nada pelo reconhecimento do Belo em atividades físicas historicamente alheias ao universo artístico – como a moda, o esporte, a mecânica do movimento e o gestual cotidiano – e pela busca obstinada de sua síntese através da dança. Causaram espécie também suas investidas radicais na criação e exploração de novos planos para a ocupação do espaço cênico, envolvendo manobras de risco para os bailarinos que levavam as plateias ao delírio e fizeram de sua companhia um fenômeno de público sem paralelos na história recente da dança. Popularidade que em momento algum colocou em xeque a excelência de seu trabalho à frente da cia, largamente reconhecida pela crítica internacional, e honrada em 2001 com o Laurence Olivier Award na categoria “Oustanding Achievement in Dance” (realização mais notável em dança). 

 

O sucesso não abrandaria tampouco sua inquietação artística nem o fascínio quase abismal que nutre por desafios. Pelo contrário. Em 2005, quando sua companhia já havia exibido sua arte em 18 países de quatro continentes, Deborah não se furtou a mudar o curso de sua própria história, iniciando uma jornada em direção à valorização da dramaturgia na construção de seus espetáculos.  A guinada lhe rendeu o convite do Cirque du Soleil para criar o novo espetáculo da companhia canadense, Ovo, de 2009, uma viagem lúdica pelo mundo dos insetos, e redundou na retomada do balé narrativo pela coreógrafa e no aprofundamento de sua investigação no sentido de tratar as grandes questões humanas através da dança. Deborah foi a primeira mulher a criar e dirigir um espetáculo para o Cirque. Em 2016, foi a diretora de movimento da cerimônia de abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro, comandando mais de 3 mil pessoas.

 

Deborah Colker foi ganhadora do Prix Benois de la Danse 2018, uma das mais importantes premiações mundiais para a dança, pelo espetáculo Cão Sem Plumas, de 2017, inspirado no poema homônimo de João Cabral de Melo Neto.

 O ESPAÇO

 

CMDC GLÓRIA

 

Localizado na Rua Benjamin Constant, na Glória, um dos bairros mais antigos do Rio de Janeiro, o Centro de Movimento Deborah Colker ocupa três casarões, um deles a antiga residência do pintor Victor Meirelles.

 

A Companhia de Dança restaurou completamente o local, preservando a fachada típica do segundo reinado. Na porta, mantém-se uma placa como referencia ao artista e alusão

ao histórico do espaço, cuja construção data de 1893.

 

Nossas instalações internas contam com a salas de ensaios, mezanino e escritório da Cia de Dança Deborah Colker, salas de aula, cenotécnica, sala de figurinos, hall de entrada, recepção, sala de secretaria, lanchonete, loja, vestiários

e banheiros e copa. Todas as salas oferecem estrutura apropriada com qualidade para o desenvolvimento de

qualquer técnica de dança e movimento.

CMDC GÁVEA

Inaugurada em 2019, a arquitetura desta nova unidade foi projetada para acolher nossas CURSOS e OFICINAS.

 

POSSUI 5 SALAS BEM EQUIPADAS | ELEVADOR

AMBIENTE SEGURO e CONFORTÁVEL

  

 SOBRE

 

“É um Centro para pensar, emocionar e construir um corpo que tenha prazer em se movimentar.”

 

O Centro de Movimento Deborah Colker afirma sua filosofia que, através do movimento, o ser humano desenvolve seu corpo, sua inteligência, confiança, habilidade de se comunicar e expressar.

 

Uma escola com várias técnicas de movimento e foco na integração da dança com o universo das artes em geral; conhecimento fundamental para a formação de um corpo inteligente e de uma movimentação criativa.

 

Nosso intuito é proporcionar o encontro de pessoas que se relacionam com a dança através da arte, saúde e lazer. Atendemos crianças, adolescentes e adultos, profissionais ou iniciantes.

 

Funcionamos no mesmo espaço da Companhia de Dança Deborah Colker, o diálogo entre profissionais e alunos acontece através da integração de educação, formação, criatividade e experimentação. Essa união proporciona uma troca de experiências que enriquece a vivência da nossa escola.

 

Acreditamos na criatividade e irreverência. Concentração, disciplina, formação e foco são a base criativa de qualquer indivíduo.

  

1/6